ARTIGOS

por Marcia Ahrends

Auto Cura Possível

 

Segundo a visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) entre o Céu e a Terra existe o Homem. Na verdade todas as formas de vida provêm da dinâmica desta relação entre o Céu e a Terra. A energia sutil e diáfana do Céu mesclando-se com a densidade e materialidade da terra gera uma integração única que permite variadas matizes  de manifestação. É o Chi, polarizado em Yang e Yin, dando origem a tudo que existe no âmbito da relatividade. E é justamente esta dinâmica da relação entre o Yin e o Yang que permite que a Vida se manifeste na Matéria.

 

O Homem que desconhece estas leis, que não está apto a perceber a Energia que anima toda a matéria, sente-se como algo à parte deste contexto e no direito de intervir morbidamente na existência de outras formas de vida.

 

O Homem consciente percebe, em algum lugar de seu Ser, que esta trama da Energia na Matéria é de tamanha abrangência, complexidade e Harmonia que não há ciência cartesiana que explique, nem mente meramente racional que compreenda e é, portanto, algo para ser comungado, compartilhado e pertencente, pois este é o caminho para a Harmonia interna e externa e para saúde integral de todos os seres viventes e de todo o Planeta.

 

"Assim em cima como em baixo", "assim fora como dentro" por isso a observância desta dinâmica do Yin e do Yang nos leva a perceber a energia que anima tanto o movimento dos planetas no céu, quanto o dos átomos e moléculas em nosso corpo, nossos órgãos e vísceras, nossas emoções e, a partir daí, buscamos estar no mundo de forma consonante com esta dinâmica, assegurando assim o ótimo funcionamento de nossos mecanismos de auto-regulação  e permitindo que o Planeta também mantenha o seu.

 

Registros históricos mostram que todas as culturas e sociedades onde existiu ou existe o respeito e a observância dos fluxos, leis e ciclos da Natureza regendo a vida social e individual de seus integrantes, estes foram e são simbolicamente, psiquicamente, espiritualmente e fisicamente tocados, mantendo acesa a chama de toda possibilidade de integração, transformação e, conseqüentemente de autocura.